Google+ Followers

terça-feira, 22 de agosto de 2017

A EFÊMERA NÉVOA DO AMANHECER


















 





A EFÊMERA NÉVOA DO AMANHECER


Infinitamente belo, insuportavelmente efêmero.”
                                                                     Rubem Alves

O mistério da vida é talvez maior que o da morte,
eis que a vida existe mas por si mesma não subsiste.
A nefasta morte que também existe - persiste e não desiste -
antiga como a própria sombra da noite, ela resiste.
Vai-se a vida para a morte existir.
Hoje, tantos anos depois, onde a noite dos tempos me separa
do Anjo que me fez sonhar e ser o que sou,
não tenho glórias para mim, mas para meus filhos e netos.
Rememoro em verdade a importância de sopesar a existência.
Passamos uma longa vida na ilusão de reter a sabedoria
sendo que ela nos é volátil como a efêmera névoa
do brilhante amanhecer.











 












E tudo que era efêmero se desfez. E ficaste só tu que é eterno”

[Cecília Meireles]






_________________________________________________________________________________________________

Efêmero, do grego “ephémeros” significa “apenas por um dia”. De forma geral o termo 

efêmero é associado a tudo que é passageiro, transitório, fugaz, de curta duração.
  _______________________________________________________________________________

Tentar reter o tempo, parar a vida, eternizar-se jovem, é sofrer anunciadamente, é a busca pelo efêmero...
A luz, as nuvens, a névoa, a chuva,
embora sejam apenas um instante mágico dentro da eternidade,
por elas podemos dialogar com o eterno.
Para a contemplação e deleite de nossos olhos
postam-se diante de nós as rochas,
as montanhas, os vales,
passam a terra, o ar, as águas e o fogo, mas o Eterno subsiste.














 








Toda a grandiosa beleza da Criação beleza das montanhas,
vales, mares, céus em cores, nuvens navegando
na plenitude do azul do firmamento.
Precisaríamos de milhares de vidas longas para apreciar um mínimo das maravilhas, somente de nosso planeta.

As cordileiras, os fiordes, as rochas, os abismos oceânicos estão sempre lá, mas como toda obra prima de arte sofrendo a intervenção do Artista. Elas - todas as obras - são o palco, não o enredo da peça. Como explicar, descrever uma flor para nossa alma e coração? O voo do beija-flor, o mimetismo do camaleão? Não cientificamente, sem equações ou gráficos, nem busca da lógica e encaixe forçado na razão, como se tentar colocar uma catedral dentro de uma capela... Simplesmente admirá-los, observá-los para senti-los: criamos o enredo, damos movimento à nossa história, cores à aquarela da alma, que nos valem a vida.

Nossos sentimentos - sensações - vão para o eterno na rápida viagem de todo esse milagre lento qual fosse um século, breve qual fosse uma hora.
O que constrói as grandes paisagens vividas é a luz refletida, filtrada em raios multicoloridos por entre as nuvens, a névoa, as expressões e gestos de pessoas que povoam nossa existência, ou até mesmo o conhecimento, o olhar e estado de espírito de cada um de nós caminhantes. O subjetivo, o efêmero... é a essência, do corpo que nos envolve na aquiescência de nossa alma.

                                       *











 












Somos maus aprendizes da arte de conhecer o mundo; lembremo-nos quantas vezes nós dizemos de pronto que ele nos engana...!

Um esquilo, por exemplo, está na hierarquia do tempo de existência como fossem instantes, e estoca o necessário para sua vida e seus filhotes.
Não há desperdício de tempo, pois não há consciência do tempo para lhe fazer falta.

Nós outros, no entanto, desperdiçamos o tempo afetivo jogando-o como lastros ao mar; antes, muito antes, de o navio porventura vir a naufragar!

Se vivêssemos a vida - da forma dos esquilos e das borboletas -
constataríamos que o tempo não existindo, o iríamos ter para uso, com sobra. No entando nós humanos com a noção do tempo, não temos tempo para nada...

[M.Martins Santos]


segunda-feira, 21 de agosto de 2017

ACARINHANDO O CORAÇÃO


























ACARINHANDO O CORAÇÃO
Poesia sulista - RS

_____________________________


Choro meu pouco, por esta vida às vezes tirana,
Mas ora me reponta nesta fronteira castelhana:
De nunca reclamar, sim, dar graças à existência
De jornada a trote rumo à compaixão e ao amor,


Espantando as más lembranças da adolescência,
Nos rastros do caminho acarinhando o coração,
Sentindo na lembrança o doce mel da querência,
Folgando por de ontem, a velha alma do galpão.

[M. Martins Santos]

terça-feira, 15 de agosto de 2017

UM DIA DE SIMPLICIDADE




A simplicidade não é um estado de desleixo pessoal,
ou falsa modéstia para granjear qualificação de simples.
Mas o meio da travessia, onde reside a virtude


Um dia de simplicidade

A paz é a simplicidade.
Simplicidade é a beleza.
Escolha um dia como seu dia de simplicidade.
Fale pouco e escute com atenção.
Faça algo incógnito e agradável para uma que é seu próximo (ou a mais imediata de você). Coma algo simples e natural.
Crie períodos de tempo para não fazer nada:  basta caminhar, olhar ao redor, viver o momento.
Tenha a mente aberta para uma sensibilidade mais profunda e silenciosa.
Aprecie cada cena e cada pessoa como elas são.
À noite medite sobre suas descobertas.
Observe o estado de sua mente.

In Journey to Balance.

Espero que com este desejo possam 
todos terem um excelente dia/noite



segunda-feira, 14 de agosto de 2017

UM JARDIM




Um jardim...

Um jardim multicolorido
Um homem ali perdido...
Brumas densas do ontem,
Não permite enxergar bem...

Medo de amar, medo de ir.
Medo louco de desistir...
Ainda resta a esperança
No olhar doce de criança.

Em seus langorosos dias,
Sonha com as estrelas...
No jardim das quimeras
Chora as suas angústias.


*Sandra Galante

<><><><>

*Sandra Galante, é uma tão querida 
quanto dileta amiga-confreira 
no Site PEAPAZ

domingo, 13 de agosto de 2017

OBRIGADO PAPAI


Em algum tempo esta imagem será passado...
Mas vale muito a pena  enquanto se é "presente"...!


OBRIGADO PAPAI...

Lembrar-se de um ente querido que não mais esteja neste mundo fático, sempre é difícil, uma dor que transpassa nosso corpo - o indescritível sentimento que chamamos saudade - ao redor, tudo nos faz lembrar a pessoa amada que se foi.

Essa data, apenas uma data para pausar a loucura de nossos dias, e pensarmos em um homem que queríamos que fosse eterno. É emocionante, uma mensagem de feliz dia dos pais para pai que já nos deixou - como a mim, há muito tempo... Há pouco tempo para alguns, e outros deem glórias aos céus por ainda o terem.

Estes seres, cuja missão foi nos deixar na Terra seguiram ao grande planejamento cósmico. Aos vivos ainda desconhecido,  mas que sabemos que cumpriram sua missão e seguiram sua jornada de encontro à luz.

[M.M.S]

Oração aos Pais

Senhor, Tu que és Pai de todos nós peço que abençoe aquele homem que antes de mim Tu enviastes  para ser meu pai aqui na terra e ensinar-me como ser uma pessoa de bem e fazer as coisas certas. 

Através dele pude ver várias vezes Tua divina face paterna; o amor e compaixão a ensinar-me por palavras e atitudes como me tornar um verdadeiro ser humano e pude seguindo seu exemplo, ser abençoado na paternidade.

Peço-te Pai Eterno, multiplicares nossos dias, nós que somos pais; e a nossos filhos, para honra e glória de terem-me legado os netos.

Para que eu possa sentir sua bendita presença nos momentos felizes e difíceis da vida, sempre lembrando-me de como papai soube em sua humildade e pobreza nos legar a honestidade, a que ele chamava de “carro-chefe” das virtudes.

Senhor acompanha-nos, na alegria ou na dor, no riso ou em cada lágrima, ensina-nos a orar agradecidos a todos os momentos da vida .

Senhor de Toda a Eternidade, peço tua benção na vida de todos os Pais orientando-os no reto caminho, para criarem seus filhos no bom caráter e honestidade, tão carentes em nossos dias.

Que assim seja hoje e todo o sempre. Pelo Santo Espírito, teu emissário e por Tua imensa misericórdia. 

Amém.

<*><*><*><*><*><*><*>

Lembranças de meu Pai

Pai que aos olhos da criança é herói
Pai que aos olhos do jovem é vilão
Pai que aos olhos do adulto é um amigo
Pai que aos olhos do velho é saudade

Quando eu te via como herói
Não sabia quase nada da vida
Sentia-me seguro ao seu lado
Eu só queria ser seu filho

Quando eu te vi como vilão
Pensava que já sabia tudo sobre a vida
Não queria proteção
Eu só queria ser herói

Quando eu te vi como amigo
Pude me dar conta dos erros cometidos
Foi quando realmente te conheci
Que entendi o sentido da vida

Quando me dei conta de sua falta
A idade já havia me alcançado
Você já não era mais herói, nem vilão
Nem amigo e nem solidão

Você virou soma de tudo aquilo que foi
De tudo aquilo que eu pensei que fosse
A síntese da vida que hoje eu vivo
A minha definição da palavra PAI!

(*Luis Alves)

* In Site Ecleticka

 <*><*><*><*><*><*><*>

(...) É a minha emocionada homenagem ao maior, mais justo, honesto, honrado e digno homem que pude conhecer: meu pai!




quinta-feira, 10 de agosto de 2017

E ENTÃO PEDE-ME QUE A ESQUEÇA



















E ENTÃO PEDE-ME QUE A ESQUEÇA


E então, pede-me que a esqueça,
- assim despreocupada, tão serena,
como sendo coisa que fácil aconteça
fosse um amor apenas emoção amena.

Nada sou, só grão de areia no deserto,
rolado, levado pelo vento inclemente;
jamais levantaria as dunas por perto,
tão insignificante que sou certamente.

Como íngreme penedo na falésia fincado,
também não posso conter o vigor do mar;
tácito, deixo-me então açoitar conformado,
a mim impossível seria o fragor rechaçar.

Poderia a cana do frágil junco conter o vento,
nas matas resistirem as frondes ao vendaval?
O mesmo Sol nasce a cada manhã com alento,
mas não resistem as folhas ao temporal.

E então, pede-me que a esqueça,
- assim despreocupada, tão serena,
como se ao andar aleatório dessa caleça,
dominasse também eu de forma plena.

Sou apenas poeira caída de uma estrela,
um nada diante do esplendor de *Aldebarã,
jamais poderia sequer pensar em esquecê-la,
encantado que estou na sua magia, a liça é vã.
________________________________________________________________

Esta poesia tenho a imensa emoção e razão de publicá-la, como homenagem póstuma
a meu grande amigo e imenso poeta Luz Antonio Moraes, de Piracicaba, que 
recentemente foi juntar-se á plêiade dos Poetas Maiores, cujos versos eternizam  
o brilho daqueles em cujo peito guardou sua Aldebarã de peculiar magnitude.

_____________________________________________________________________________

Do livro de Luiz Morais  "Pólen de estrelas"
2017 - Brasil
________________________________________________________________

*Aldebarã ou aldebaran
Alpha Tauri (α Tau) conhecida como Aldebarã ou Aldebaran é uma estrela de primeira magnitude,
e a estrela mais brilhante da constelação Taurus.




quarta-feira, 9 de agosto de 2017

TÃO APENAS SAUDADE...






TÃO APENAS SAUDADE...
                                               Sempre que penso, ou melhor, sinto a Saudade,
                                               Lembro-me de Rubem Alves e seus ídolos literários,
                                               Um deles que sempre citava era o poeta William Blake:
                                             
                                                “Ver um mundo num Grão de Areia
                                                           E um Céu numa Flor Silvestre,
                                                  Ter o Infinito na palma de sua mão
                                                               E a Eternidade numa hora.”

Acho que isto encerra toda uma imensa Saudade.



Que saudade do tempo em que não via problemas com o mundo, passavam-se anos infantis sem imaginar que nossa “casa” vagava pelo espaço ...
Saudade das datas festivas em que recebíamos presentes - a nós parecia, que elas tinham suas casinhas e que saiam nos dias certos só para nos alegrar...
Saudade do apito do trem “Maria Fumaça”, do canto dos galos ao longe...Dos sinos distantes das capelinhas às tardes quentes e modorrentas, o apito do guarda noturno... O “chorar” das rodas dos carros-de-boi... Tantos pequenos detalhes que se avolumam na alma...
Saudade das movimentações em turma, e que eram apenas um agrupamento de amigos inseparáveis, e quase que literalmente a dor de um, era sentida por todos...
Saudades de poder andar livres, sem medo, sem agressões... Sem ler, ouvir e compreender as palavras que hoje, só ao pronunciá-las as pessoas ficam deprimidas, porque já as sofreram...
Saudades de sentir a felicidade de vermo-nos rindo de tudo, das coisas mais simplórias, e juntos caminhávamos sem pensar que existisse tempo ou o que era o tempo, e um futuro de complexidades...
Saudade de coisas, cores e cheiros... Rostos das adolescentes, que coravam - só por  demorarmos um pouco mais a olhar seus olhos e dizermos que eram bonitas.
Saudade dos rastros de luz que pessoas deixaram sobre nós ao passarem por nossas vidas...
Saudade da “Saudade”, não do Saudosismo que é o profissionalismo da saudade.
A Saudade tem um perfume e um sotaque próprio, que o tempo recolhe e traduz... Tem amor, da voz o tom, a cor do batom, dos lábios o sabor, de nossa primeira e longínqua namorada. Saudade... Por onde ela e tudo o mais andará...? Saudades.